20/12/2012

Santa Bárbara terá centro dia para idosos

Roberto Engler

SP Amigo do Idoso prevê investimento de R$ 1,25 milhão nas três cidades

 

20/12/2012 - O Governo do Estado de São Paulo deve investir R$ 500 mil no bem-estar dos idosos de Santa Bárbara d’Oeste. O município deve ser beneficiado pelo Programa SP Amigo do Idoso, ao longo de 2013, com a instalação de um Centro Dia.
Os Centros Dia atendem as famílias que precisam trabalhar fora e não têm onde deixar seus idosos nesse período. Neles, o idoso participa de várias atividades de cultura, lazer, alimentação e cuidados com a saúde, entre outros. Ao final da tarde, estará de volta à sua casa e sem perder seus vínculos familiares.
“Com o crescimento da população idosa em todo o País, a ações da Administração Pública para a melhor idade precisam ser repensadas e intensificadas. Essa é uma grande iniciativa do Governo do Estado em resposta a essa necessidade”, diz o deputado estadual Roberto Engler.
A confirmação da liberação do investimento para a cidade ocorreu há cerca de três semanas, no entanto a concretização dos convênios entre Estado e Prefeituras só deve ocorrer no ano que vem. O repasse dos recursos passa pelo cumprimento de alguns compromissos e metas, que significam melhorias diretas nas políticas públicas municipais voltadas para os idosos.
"Esse é o caminho para melhorar a qualidade de vida da população. São Paulo tem uma das expectativas de vida mais altas do Brasil: 75 anos. E subindo. Estamos cientes de que há uma grande mudança demográfica e tudo isso demanda saúde, educação continuada e políticas públicas de proteção à melhor idade", afirma o governador Geraldo Alckmin (PSDB).

 

PROGRAMA SP AMIGO DO IDOSO
O programa São Paulo Amigo do Idoso foi lançado em maio deste ano, pelo governador Geraldo Alckmin, e envolve ações voltadas à proteção, educação, saúde e participação da população paulista acima de 60 anos. Baseia-se no conceito de “Envelhecimento Ativo”, da Organização Mundial de Saúde (OMS): independência, participação, assistência, autorrealização e dignidade.
Para o Governo do Estado de São Paulo, promover um envelhecimento ativo significa oferecer, à população com mais de 60 anos, a oportunidade de conviver em sociedade, demonstrar opiniões, tomar decisões políticas, circular pela cidade, consumir arte e cultura, se relacionar, e ter saúde física e mental.