24/10/2019

Denominação homenageia Zezinho Brasil e Dona Ritinha

Lei estadual dá nome do casal a dispositivo na Rodovia Cândido Portinari

imagem_destaque

Dona Ritinha e Zezinho Brasil

A Lei Estadual 17.189/2019, de autoria do deputado estadual Roberto Engler (PSB), deu o nome de Zezinho Brasil e Dona Ritinha a dispositivo de acesso e retorno, com duplo viaduto, localizado no km 369,2 da Rodovia Cândido Portinari. A norma é oriunda do projeto de lei 120/2019 e foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (24).

O dispositivo denominado fica localizado no município de Batatais. “Uma justa homenagem a duas pessoas que construíram, juntas, uma bela trajetória familiar, profissional e, ainda, de envolvimento social e ajuda ao próximo”, disse o deputado estadual Roberto Engler.

José Brasil Aguiar Rodrigues Alves e Maria Rita Nogueira Rodrigues Alves tiveram suas vidas absolutamente ligadas. Ambos nasceram em 1930 e faleceram em 2016, viveram 64 anos juntos (dois anos de namoro e 62 anos de casamento) e deixaram amplo legado para a comunidade francana. 

José Brasil Aguiar Rodrigues Alves, nasceu em Cravinhos e veio para Franca com apenas 40 dias de vida. Seus pais, José Rodrigues Alves e Anna de Aguiar Rodrigues Alves, mudaram-se a fim de recomeçar a vida após a grande crise de 1929. 

Aos 15 anos, Zezinho Brasil começou a trabalhar no comércio de café com o pai que havia se tornado um dos principais comerciantes internacionais de café da região da Alta Mogiana. Em 1944, finalmente conseguiu comprar a tão sonhada terra, a Fazenda Aleluia. 

José Brasil e Odilon Americano, seu irmão e grande amigo, trabalharam com o pai. Após sua morte, em 1959, os dois irmãos continuaram com os negócios por muitos anos. Posteriormente, separaram a sociedade, venderam os armazéns e, a partir de 1974, José Brasil dedicou-se exclusivamente à agricultura e fez da Fazenda Aleluia campo próspero de produção seriamente conduzida.

Casou-se com Dona Ritinha em 1954. Tiveram nove filhos, 37 netos e conheceram muitos dos seus mais de 20 bisnetos. José Brasil e Maria Rita tutelaram três irmãs até a maioridade e casamento. Elas lhes deram mais nove netos e um bisneto. José Brasil foi vereador entre 1960 a 1962, porém não quis dar continuidade à trajetória política optando por dedicar-se à cafeicultura e, posteriormente, à evangelização.

Maria Rita Nogueira Rodrigues Alves, ou dona Ritinha, como era carinhosamente chamada, nasceu em Franca, filha de Adelino Nogueira e Amélia de Castro Nogueira. Foi professora primária e dedicou-se incansavelmente à profissão, quer seja na zona rural ou nas escolas municipais de Franca. 

Juntamente com sua grande e inseparável amiga, a cunhada Laís Aguiar Rodrigues Alves, também professora, atuavam na promoção social e religiosa das crianças nas escolas pelas quais passavam. Humildade e doação aos mais necessitados são os atributos de sua trajetória.

Em 1974, José Brasil e Maria Rita ingressaram no Caminho Neocatecumenal do Brasil e, em 1977, integraram-se à primeira equipe de evangelizadores. Dedicaram-se incansavelmente a este ministério até 2014 quando então se recolheram. A Comunidade Neocatecumenal é constituída atualmente por cerca de dois milhões de pessoas e muitos dos primeiros membros foram catequisados pelo casal.

José Brasil e Ritinha tiveram uma jornada plena de amor um pelo outro, para com os filhos e por todos os que deles se aproximavam. Assim, transformaram a vida de muitas pessoas e, mesmo não estando mais presentes fisicamente, seus feitos continuam dando frutos. Estarão nos corações e lembranças daqueles que tiveram o privilégio de conhecê-los.