01/10/2019

Roberto Engler quer fazer valer audiências do Orçamento 2020

Deputado cobrou que sugestões de encontros regionais sejam acatadas

imagem_destaque

Parlamentar presidiu reunião realizada em Franca

Presidindo a audiência do Orçamento Estadual para 2020 realizada em Franca, o deputado estadual Roberto Engler (PSB) aproveitou o para cobrar, da própria Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, que as sugestões coletadas em 19 encontros regionais realizadas pelo Legislativo sejam levadas em conta.


A contundente fala do deputado Roberto Engler chamou a atenção de quem compareceu à audiência pública que aconteceu na Câmara Municipal de Franca, na manhã de segunda-feira (30), encontro que contou com a presença da deputada estadual Delegada Graciela Ambrósio (PR) e dos vereadores Claudinei da Rocha (PSB) e Cristina Vitorino (REP).


“Se não é pra levar a sério, não tem porque promover. As pessoas vêm até as audiências regionais com a esperança de que ao menos uma parte dos pedidos possa ser ouvida. Se não é pra atender, vira enganação”, afirmou Roberto Engler.


“Ano a ano, mobilizamos lideranças de Franca e das cidades da região para participarem da reunião. Mas, quando se despreza o que é discutido, algo que tem acontecido repetidamente nos últimos orçamentos, fica difícil motivar a população”, revelou o parlamentar.


O deputado Roberto Engler aproveitou para registar duas necessidades da região de Franca. A primeira delas se refere à pavimentação da Estrada Velha Franca-Batatais (SP 336 - Rodovia Rio Negro e Solimões), obra pela qual tem trabalhado há muitos anos. 


“Por nossa insistência, o projeto de pavimentação completa da rodovia foi feito pelo DER. Por duas vezes, o Governo afirmou que realizaria e depois voltou atrás. É uma obra cara, como se sabe. Mas precisamos ao menos iniciar. É uma das poucas estradas estaduais não pavimentadas em São Paulo. Não pode continuar assim", disse. 


Roberto Engler reforçou ainda a necessidade de investimentos na Santa Casa de Franca, hospital referência na região. 


“Temos visto pessoas aguardando na fila para conseguir leitos na Santa Casa. É preciso que o DRS (Departamento Regional de Saúde) explique a razão dessa falta de vagas e cabe ao Governo do Estado resolver o problema. Se é uma questão de verbas e investimentos, eis uma boa oportunidade de incluir no Orçamento do ano que vem”, afirmou. 



DEMANDAS DA POPULAÇÃO
Demandas antigas da região deram o tom à audiência pública. Edson Carlos, representante do SindSaúde de SP abriu as falas colocando a situação dos servidores da área. Segundo ele, 60% recebem menos que o piso, de R$ 1.200 por mês. 


A professora Marlene Camilo trouxe reivindicação que tem aparecido em todas as reuniões regionais: a contrapartida dos 2% do Iamspe. Este valor é descontado da folha de pagamento dos servidores, mas não retorna em melhorias para o hospital. 


"Estou aqui para pedir socorro. Há dez anos, estou na comissão consultiva mista do Iamspe e solicitamos ao Estado a contrapartida de 2%. Os professores também estão doentes. O Iamspe é nosso, nós pagamos esses 2% e temos uma defasagem de profissionais. Hoje, Franca atende a 23 municípios e a Santa Casa havia parado de atender o Iamspe, depois de algumas negociações, voltou a atender, mas não sei até quando", disse Camilo. 


A reforma do museu histórico de Franca também entrou na pauta, bem como o pedido de repasse de 3,3 % do ICMS para o Instituto Paula Souza. 


As audiências regionais do Orçamento são promovidas pela Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da Assembleia Legislativa de São Paulo.