11/09/2019

Santa Casa de Franca quer abrigar Rede Lucy Montoro

Estrutura do Complexo Hospitalar seria trunfo para trazer programa à cidade

imagem_destaque

Marcelo Reis, José Cândido Chimionato, Roberto Engler e Tony Graciano

A Santa Casa de Franca tem interesse em abrigar uma unidade da Rede de Reabilitação Lucy Montoro, programa estadual destinado a pacientes com deficiências físicas incapacitantes, motoras e sensório-motoras. Dirigentes do Complexo Hospitalar se reuniram, na última semana, com o deputado estadual Roberto Engler (PSB) buscando apoio para essa intenção.


A ampla estrutura da Santa Casa de Franca seria um trunfo que facilitaria a implantação da Rede Lucy Montoro na cidade. O Complexo Hospitalar tem equipamentos de Saúde que complementariam o tratamento oferecido pelo programa de reabilitação. 


 “É uma alternativa no sentido de facilitar a implantação da Rede de Reabilitação Lucy Monto em Franca, algo que temos buscado há alguns anos”, disse o deputado Roberto Engler.
“Vamos levar essa ideia ao Governo para que seja avaliada. Já encaminhamos a proposta à secretária estadual de Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão”, afirmou o parlamentar, que esteve com o presidente da Santa Casa, Tony Graciano, com o diretor administrativo, José Cândido Chimionato, e com o diretor institucional, Marcelo Reis.


Os dirigentes da Santa Casa estariam dispostos a oferecer local para construção de um prédio específico para a unidade da Rede Lucy Montoro, caso as conversas com o Governo do Estado avancem.


Além disso, a Santa Casa de Franca possui experiência na gestão de serviços de Saúde na condição de Organização Social, modelo que tem sido implantando da Rede Lucy Montoro. Embora uma possível definição sobre a administração de uma nova unidade em Franca vá depender de um chamamento público, esse seria mais um facilitador.


Criada pelo Governo do estado de São Paulo em 2010, a Rede de Reabilitação Lucy Montoro tem como objetivo proporcionar o melhor e mais avançado tratamento de reabilitação para pacientes com deficiências físicas incapacitantes, motoras e sensório-motoras. 


A Rede realiza programas de reabilitação específicos, de acordo com as características de cada paciente. Os tratamentos são realizados por equipes multidisciplinares, composta por profissionais especializados em reabilitação, entre médicos fisiatras, enfermeiras, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, educadores físicos e fonoaudiólogos.