08/08/2019

Audiência discute estande de tiro para PM de Franca

Roberto Engler e Della Motta levaram pedido ao comandante geral da PM

imagem_destaque

Della Motta, Roberto Engler e Coronel Salles

O deputado estadual Roberto Engler (PSB) e o vereador Della Motta (PODE) solicitaram, ao comandante geral da Polícia Militar no estado de São Paulo, Coronel Marcelo Vieira Salles, a disponibilização de um estande de tiro para o 15º Batalhão da PM, em Franca. Os parlamentares se reuniram com o Coronel Salles na quarta-feira (7).


O 15º Batalhão possui área apropriada para receber o espaço de treinamento. Sem o estande de tiro próprio, os policiais de Franca têm sido obrigados a se deslocar até Batatais, para utilização de estrutura disponível naquela cidade.


“Reapresentamos uma demanda que já tínhamos tratado com o comandante anterior. É quase que consenso que essa é a principal necessidade estrutural da PM na nossa cidade atualmente”, disse o deputado estadual Roberto Engler.


“O deslocamento de policiais e recrutas em formação de Franca a Batatais implica em diversos custos, além de representar desperdício de tempo. Em pouco tempo, o investimento em um novo estande se pagaria”, afirmou Roberto Engler.


O novo estande de tiro em Franca poderá, ainda, facilitar ações de outros órgãos do Governo, já que poderia ser disponibilizado também para utilização da Polícia Civil, do Exército, da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária, entre outros. No total, policiais que atuam em Franca e outras 22 cidades seriam beneficiadas com esse estande.


O comandante geral da PM, Coronel Marcelo Vieira Salles, compreende a necessidade do estande de tiro e prometeu avaliar formas de atender a demanda o mais rápido possível.



BAEP

Durante a audiência, o vereador Della Motta aproveitou para perguntar ao comandante geral da PM sobre como será a formação do BAEP (Batalhão de Ações Especiais de Polícia), que deve iniciar sua atuação ainda neste ano, será sediado em Ribeirão Preto e vai atender toda a região. A preocupação do vereador seria o esvaziamento do efetivo disponível nos municípios.


Segundo o Coronel Salles, não haverá prejuízo para os contingentes de patrulha e Força Tática, já que as vagas abertas pela realocação dos policiais no novo batalhão devem ser repostas de imediato.