20/02/2018

Roberto Engler quer ampliar reajuste de salário do Magistério Paulista

Emendas do parlamentar beneficiam classes de suporte pedagógico

imagem_destaque

Roberto Engler defende tratamento igual para todo o Magistério

Impasse sobre a abrangência do reajuste a ser concedido pelo Governo do Estado de São Paulo aos profissionais do quadro do magistério paulista adiou a votação do PLC 01/2018, que trata do aumento. Articulação do deputado estadual Roberto Engler (PSDB) pretende estender acréscimo de 7% ao vencimento das classes de suporte pedagógico. Sem acordo, a votação não deve ocorrer nesta semana.

O projeto original contempla com reajuste de 7% apenas professores de Educação Básica da Rede Estadual e professores de Ensino Médio e Técnico do Centro Paula Souza. Emendas do deputado Roberto Engler ampliam esse aumento para vencimentos dos diretores, supervisores e dirigentes e também para os professores de Ensino Superior e auxiliares docentes do Centro Paula Souza. Sem as alterações essas últimas categorias receberiam apenas 3,5% de reajuste.

“Na proposta enviada pelo Poder Executivo, há um equívoco na definição do que é o quadro do Magistério. Jamais houve um tratamento diferenciado das diferentes classes do magistério e, da forma como está, o PLC discrimina uma parcela dos funcionários da Educação. A nossa intenção é corrigir esse equívoco”, disse o deputado estadual Roberto Engler.

Por meio de acordo entre o parlamentar e a Liderança do Governo, ficou acertado que o PLC 01/2018 será objeto de nova e ampla discussão, inclusive com representantes do Magistério. Um encontro para tratar do tema esta marcado para a próxima terça-feira (27).

Quando aprovado, o pagamento do reajuste aos profissionais do quadro do magistério será retroativo a 1º de fevereiro.