06/02/2017

G6 apoia a criação do Aglomerado Urbano de Franca

Grupo acredita que integração vá colaborar para o desenvolvimento da região

imagem_destaque

Paulo Zamikhowsky, José Carlos Brigagão, Dr. Nilson Salomão, Roberto Engler, Dorival Mourão Filho, Waldir Paludeto e Nilton Colmanetti

O G6 (Grupo Político Econômico Suprapartidário de Franca) acredita que a criação do Aglomerado Urbano de Franca pode trazer grandes benefícios para a cidade e a região. Representantes do grupo se reuniram com o deputado estadual Roberto Engler (PSDB) na manhã desta segunda-feira (6), na sede da Acif (Associação do Comércio e Indústria de Franca) para tomar conhecimento do tema.


O G6 é formado por lideranças civis de seis importantes órgãos regionais: a Acif, a Cocapec (Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas), a Maçonaria, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), o Sindifranca (Sindicato das Indústrias de Calçado de Franca) e a Unimed.


Participaram do encontro com o deputado Roberto Engler, o presidente Dorival Mourão Filho e Paulo Zamikhowsky, pela Acif, Alberto Rocchetti Netto, pela Cocapec, Waldir Paludeto e Nilton Colmanetti, pela Maçonaria, José Carlos Brigagão do Couto, presidente do Sindifranca, Doutor Nilson Salomão, presidente da Unimed Franca.


O deputado estadual Roberto Engler expôs a atual situação da articulação pela criação do Aglomerado Urbano de Franca, que tem sido discutida com o subsecretário de Desenvolvimento Metropolitano, Edmur Mesquita. A integração regional permitiria unificar o planejamento e a implantação de políticas públicas em determinadas áreas temáticas.


“Essa delimitação regional não tem impacto apenas político ou na administração pública, mas na sociedade civil como um todo, por isso a adesão do G6 a esse movimento que estamos iniciando é essencial”, avaliou o deputado Roberto Engler.


“Essa perspectiva de participação ativa da sociedade civil foi muito bem compreendida por cada um dos representantes, que se entusiasmaram com o potencial da ideia e manifestaram interesse em colaborar no amplo debate que antecede uma medida como a criação do Aglomerado Urbano. Nos próximos dias, daremos outros importantes passos”, completou Roberto Engler.

Em breve, parlamentar e G6 planejam discutir o assunto em nova reunião, dessa vez com outras lideranças políticas de Franca. “O objetivo agora é estender a iniciativa ao deputado federal Adérmis Marini (PSDB), ao prefeito Gilson de Souza (DEM) e aos vereadores. Com o tempo, a tendência é que esse fórum de discussão só aumente”, disse o deputado Roberto Engler

Além de Franca, formariam a região intermunicipal Aramina, Buritizal, Cristais Paulista, Guará, Igarapava, Ipuã, Itirapuã, Ituverava, Jeriquara, Miguelópolis, Patrocínio Paulista, Pedregulho, Restinga, Ribeirão Corrente, Rifaina, São Joaquim da Barra e São José da Bela Vista, totalizando 18 cidades. 

Não está afastada, no entanto, a hipótese de inclusão de outros municípios vizinhos, a depender dos estudos que vêm sendo realizados pela Emplasa. “Essa questão técnica será pauta das conclusões da Subsecretaria de Desenvolvimento Metropolitano, por meio da Emplasa. Em breve, esperamos receber o secretário Edmur Mesquita e membros da sua equipe em Franca”, revelou Roberto Engler.

A visita do subsecretário estava agendada para o próximo dia 13, mas deve ser remarcada para o mês de março.

A criação de um Aglomerado Urbano traz potenciais ganhos para as cidades envolvidas e busca, acima de tudo, encontrar soluções intermunicipais para os problemas da região em diferentes áreas, especialmente Mobilidade Urbana, Transporte, Saúde, Infraestrutura e Meio Ambiente.

A definição de políticas públicas para um conjunto de municípios tende a resultar em mais facilidade para a captação de investimentos e em soluções ao mesmo tempo mais eficientes e mais baratas. Facilita, ainda, o planejamento de médio e longo prazo para a região.

As ações a serem empreendidas no Aglomerado Urbano passam pela deliberação de dois conselhos, o de desenvolvimento e o consultivo. O primeiro é composto por representantes das prefeituras e do Governo do Estado. O segundo é formado por câmaras temáticas, com a participação da sociedade civil.

O estado de São Paulo tem, atualmente, dois Aglomerados Urbanos já criados, nas regiões de Jundiaí e Piracicaba.