14/12/2016

Morro Agudo quer reabrir polo do Guri

Reunião em São Paulo discutiu alternativas para retomar o projeto na cidade

imagem_destaque

Gilberto Barbeti, Vinicius de Castro, Roberto Engler, Francisco Rodrigues e Alessandra da Costa

Audiência realizada ontem (13), em São Paulo, discutiu alternativas para que Morro Agudo possa contar com o Projeto Guri no ano que vem. Sem local para continuar funcionando, o polo da cidade foi fechado neste fim de ano. Sem previsão de verbas para 2017, a retomada depende de financiamento do município ou de patrocínios.

Participaram da reunião, a diretora-executiva da Associação Amigos do Projeto Guri, Alessandra Fernandez Alves da Costa, o diretor de Desenvolvimento Social, Francisco Cesar Rodrigues, o deputado estadual Roberto Engler (PSDB), o prefeito eleito de Morro Agudo, Gilberto Barbeti (PDT) e o vice-prefeito eleito, Vinicius Cruz de Castro (PPS).

Ao longo de dez anos, o polo de Morro Agudo funcionou por meio de parceria entre o Projeto Guri, responsável pelo custeio, e a Prefeitura Municipal, que oferecia o imóvel que abrigava a unidade. No entanto, devido ao fechamento, não há recursos previstos no orçamento do Guri para Morro Agudo em 2017. Sendo assim, além de oferecer local para as aulas, o município precisaria arcar com o custo da manutenção, estimado em cerca de R$ 140 mil.

“O prefeito eleito, Gilberto Barbeti, é um fã do Projeto Guri e vai avaliar formas de conseguir a verba, em especial por meio de patrocínios. Se for preciso, vamos ajudá-lo a contatar empresas que possam colaborar. Enquanto isso, vamos manter o diálogo com a diretoria do Guri para, quem sabe, encontrar outras formas de reabrir o polo de Morro Agudo”, disse o deputado Roberto Engler.

Até este ano, o Projeto Guri de Morro Agudo oferecia 173 vagas de ensino musical, com aulas de cavaco, coral, percussão e violão.