29/11/2016

Criação do Aglomerado Urbano será tema de evento em Franca

Lideranças estaduais devem visitar a cidade em fevereiro

imagem_destaque

Roberto Engler e Edmur Mesquita

A criação do Aglomerado Urbano de Franca será tema de evento a ser realizado no próximo mês de fevereiro, em Franca. A cidade deve receber a visita do subsecretário de Desenvolvimento Metropolitano, Edmur Mesquita, e do diretor vice-presidente da Emplasa (Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano), Luiz José Pedretti, para debater o assunto.

A realização da reunião foi acertada ontem (28), em encontro do deputado estadual Roberto Engler (PSDB) com o subsecretário Edmur Mesquita, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. “A ideia é que lideranças de Franca e da região possam compreender o que significa o Aglomerado Urbano tanto do ponto de vista político quando do ponto de vista técnico”, revela Roberto Engler.

Franca e as cidades de sua região podem passar a formar um Aglomerado Urbano em breve. Entre outras coisas, a medida vai unificar o planejamento e a implantação de políticas públicas em determinadas áreas temáticas. 

“É uma oportunidade para encontrar soluções conjuntas para os problemas em comum. A criação do Aglomerado Urbano deve permitir o fortalecimento da nossa identidade regional, com a obtenção de recursos e a construção de políticas públicas mais amplas e mais eficazes”, avalia o deputado Roberto Engler.

Além de Franca, formariam a região intermunicipal Aramina, Buritizal, Cristais Paulista, Guará, Igarapava, Ipuã, Itirapuã, Ituverava, Jeriquara, Miguelópolis, Patrocínio Paulista, Pedregulho, Restinga, Ribeirão Corrente, Rifaina, São Joaquim da Barra e São José da Bela Vista, totalizando 18 cidades. Não está afastada, no entanto, a hipótese de inclusão de outros municípios vizinhos, a depender dos estudos que vêm sendo realizados pela Emplasa.

A criação de um Aglomerado Urbano traz potenciais ganhos para as cidades envolvidas e busca, acima de tudo, encontrar soluções intermunicipais para os problemas da região em diferentes áreas, especialmente Mobilidade Urbana, Transporte, Saúde, Infraestrutura e Meio Ambiente.

A definição de políticas públicas para um conjunto de municípios tende a resultar em mais facilidade para a captação de investimentos e em soluções ao mesmo tempo mais eficientes e mais baratas. Facilita, ainda, o planejamento de médio e longo prazo para a região.

As ações a serem empreendidas no Aglomerado Urbano passam pela deliberação de dois conselhos, o de desenvolvimento e o consultivo. O primeiro é composto por representantes das prefeituras e do Governo do Estado. O segundo é formado por câmaras temáticas, com a participação da sociedade civil.