02/06/2016

Franca e região apontam prioridades para o Orçamento

Audiência Pública presidida pelo deputado Roberto Engler coletou propostas

imagem_destaque

Roberto Engler presidiu a audiência

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo realizou, na manhã de hoje (2), na Câmara Municipal de Franca, audiência pública para discussão do Orçamento Estadual para 2017. O público presente elegeu Saúde, Educação e Segurança Pública, entre nove áreas disponíveis para escolha, como as prioritárias para receber investimentos.


O encontro foi presidido pelo deputado estadual Roberto Engler (PSDB) e teve a participação de diversas lideranças políticas e civis da cidade e da região, que apresentaram também um conjunto de preocupações específicas de suas comunidades e/ou entidades.


“As audiências públicas regionais são uma oportunidade para que necessidades verificadas nas cidades, onde a vida das pessoas acontece e os problemas são sentidos de forma mais próxima, sejam debatidas e colocadas como prioridades”, ressaltou o deputado estadual Roberto Engler.


Todos os temas abordados durante a audiência são registrados pela Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da Assembleia Legislativa, que reúne o material coletado em todas as regiões do estado e elabora um parecer sobre as solicitações. 


A comissão busca acatar o maior número de pedidos e inseri-los na peça orçamentária, que é enviada pelo Poder Executivo ao Poder Legislativo no segundo semestre de cada ano. 



VEREADORES

Cinco vereadores de Franca participaram da reunião: o presidente da Câmara, Marco Garcia (PPS), Adérmis Marini (PSDB), Claudinei da Rocha (PSB), Luis Antonio Cordeiro (PSB) e Luiz Carlos Vergara (PSB). Suas reivindicações trataram de diversos temas e tiveram soluções viárias locais, em especial a construção de um novo acesso à região da Vila São Sebastião (zona oeste de Franca), como ponto comum.



REGIÃO

O vereador Antonio Rodrigues Filho, o Tunicão (PSDB), de Ribeirão Corrente, solicitou reforço em verbas para a construção de casas populares. A vice-prefeita de Guará, Maria Aparecida Carrion Degrande, a Cidinha do Didi (PSDB), pediu recursos para estradas vicinais e para veículos de transporte de pacientes.


O vereador de Cristais Paulista, João dos Reis, o Pelezinho (PSDB), apontou demanda de sua cidade na área do Saneamento Básico. De Rifaina, o vereador Marcos Passarinho (PSDB), abordou necessidades das áreas da Agricultura e Esportes. 


O ex-prefeito de Itirapuã, Marcos Alves, pediu mais verbas para Segurança Pública, Saúde e Infraestrutura Urbana. O ex-vereador de Restinga, Wellington Carlos Ferreira, abordou a carência de creches e de casas populares e solicitou melhorias na Rodovia Nestor Ferreira, entre sua cidade e Franca.



LIDERANÇAS CIVIS

Diversas lideranças locais participaram da audiência. A professora da Fatec (Faculdade de Tecnologia) de Franca, Ana Cláudia Nery Salomão, solicitou implantação de acessibilidade nos edifícios públicos estaduais. A diretora da Fatec, Isabel Buttignon, reforçou o mesmo pedido para a faculdade, que, segundo ela, também precisa de outras adequações em seu prédio.


Emílio Campos, da UEE (União Estadual dos Estudantes), ressaltou a necessidade de dotação orçamentária para a implantação da Bolsa Permanência para estudantes da Fatec (uma meta que tem sido defendida veementemente pelo deputado Roberto Engler). Claudio Ribeiro Sandoval, diretor Etec Carmelino Correa Júnior – Colégio Agrícola – pediu melhorias para a escola. 


O presidente da Santa Casa de Franca, José Cândido Chimionato, solicitou verbas para o complexo hospitalar e também para o Hospital Psiquiátrico Alan Kardec. O presidente da Apae (Associação de Pais e Amigos), Erismar Tanja, ressaltou a importância do apoio à Educação Especial.


Caio de Jesus Granduque José, coordenador da Defensoria Pública em Franca, pediu mais verbas para a defensoria. Silvia Elena de Lima, presidente do Sinteps (Sindicato dos Trabalhadores do Centro Paula Souza), solicitou a valorização dos funcionários do Centro Paula Souza. 


Geraldine Fuga, da Esac (Escola de Aprendizagem e Cidadania) – Guarda Mirim de Franca –, revelou necessidade de a entidade obter um prédio maior, com mais espaço para suas atividades educacionais.