25/11/2015

Moção repudia política federal de juros

Documento classifica a conduta do Governo Federal como “nefasta”

O deputado estadual Roberto Engler (PSDB) apresentou, na última semana, a moção 142/2015, de repúdio à política de juros praticada pelo Governo Federal. O documento ressalta o impacto negativo das altas taxas de juros no cenário econômico nacional e classifica a conduta do assunto como “nefasta”. 

Na moção, o deputado Roberto Engler menciona altas mensais consecutivas dos juros para operações de crédito para pessoas físicas, que resultaram no maior patamar das taxas desde 2009. 

Além disso, considera pesquisa feita pela Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças), que aponta ônus adicionais para linhas de crédito de juros do comércio, do cartão de crédito e do cheque especial, entre outras.

É sabido que as taxas exorbitantes de juros aumentam o risco dos índices de inadimplência, criando má expectativa, o que leva a novos aumentos para compensar possíveis perdas com inadimplência. 

“O que ocorre hoje é um ciclo danoso e a economia sofre com a escassez de recursos disponíveis, algo que só aprofunda a crise”, afirma o deputado estadual Roberto Engler.

Na moção, o parlamentar ainda diz que, muitas vezes, o consumidor não tem acesso a informações claras e objetivas quanto às taxas contratadas. “Esse é mais um dos fatores que ajudam a explicar o endividamento exorbitante de algumas pessoas”, pondera Roberto Engler.

Em sua conclusão, o documento responsabiliza a “nefasta política do Governo Federal de não implantar um rígido controle sobre as taxas de juros vigentes em nosso País”.

A moção deve ser apreciada pela Comissão de Atividades Econômicas da Assembleia Legislativa e, se aprovada, configura posicionamento oficial da Casa.