21/10/2015

Descalvado pode ter veículos para transporte de pacientes

Reforço da frota do município foi solicitado ao Governo do Estado

imagem_destaque

Rubens Cury, Mário Zambelli, Henrique Fernando, Roberto Engler e Helton Venâncio

O Governo do Estado de São Paulo vai avaliar a possibilidade de liberar dois veículos para a Prefeitura de Descalvado. O pedido de uma van e uma ambulância, ambas para transporte de pacientes, foi apresentado na manhã de ontem (21), em audiência na Secretaria Estadual da Casa Civil, no Palácio dos Bandeirantes.

O deputado estadual Roberto Engler (PSDB), o presidente da Câmara Municipal de Descalvado, Helton Venâncio (PSDB), o prefeito de Descalvado, Henrique Fernando do Nascimento (PMDB), e o chefe de gabinete Mário Zambelli participaram de reunião na Subsecretaria de Relações com Municípios, com o subsecretário Rubens Cury.  

Os dois veículos estão avaliados em cerca de R$ 200 mil. A Casa Civil vai discutir com a Secretaria Estadual de Saúde a possibilidade de atender a solicitação. Ainda não há confirmação do repasse.

“As lideranças de Descalvado deixaram clara a necessidade de reforçar a frota da Saúde no município. Inclusive um parecer deve ser solicitado ao Departamento Regional de Saúde para atestar e reforçar essa necessidade”, afirmou o deputado estadual Roberto Engler.

O parlamentar planeja reiterar o pedido na pasta da Saúde. “Vou conversar com o secretário adjunto, Wilson Pollara. Vamos aguardar uma resposta definitiva do Governo. Caso não seja possível obter o repasse pela Secretaria da Saúde, planejo apresentar uma emenda com a finalidade de garantir ao menos a ambulância”, revelou Roberto Engler.


DAEE
Também ontem (21), por telefone, o deputado estadual Roberto Engler conversou com o superintendente do Daee (Departamento de Águas e Energia Elétrica), Ricardo Borsari, sobre a conclusão das obras de construção da Estação de Tratamento de Esgoto de Descalvado, com a colocação de manta impermeabilizante.

Mesmo com o afastamento completo, por meio de parecer técnico reconhecido, da possibilidade de ocorrência de danos ambientais causados pela operação da estação sem a manta, o Daee vai instalá-la, em investimento de cerca de R$ 2 milhões. No entanto, para isso, aguarda a conclusão do processo judicial que trata do assunto.