24/09/2015

São Paulo vai segmentar escolas estaduais por ciclos de ensino

Redistribuição dos alunos tende a melhorar qualidade da Educação

O Governo do Estado de São Paulo vai, por meio da Secretaria Estadual de Educação, reorganizar as escolas estaduais por ciclos de ensino. Os alunos serão distribuídos em três segmentos – Anos Iniciais (1º ao 5º), Anos Finais (6º ao 9º) e Ensino Médio (1º, 2º e 3º) –, buscando mais qualidade na Educação.

Escolas organizadas por ciclo de ensino tendem a oferecer Educação de melhor qualidade. Pesquisa do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas), publicada neste ano, mostra que mais segmentos em uma escola aumentam a complexidade de gestão, o que está relacionado a pior desempenho.

“Tudo o que vem para melhorar é bem-vindo. As mudanças precisam ser bem explicadas e bem entendidas por todos. No passado, a divisão dos alunos já foi parecida com a proposta agora. Vejo com bons olhos uma reorganização que possa agregar qualidade ao ensino”, diz o deputado estadual Roberto Engler (PSDB).

 A partir da readequação, a Secretaria Estadual de Educação quer garantir que haja deslocamentos mínimos dos alunos - em geral, dentro de um raio de 1,5 km (a recomendação do MEC é que alunos não se desloquem mais do que 3 km para transporte) – e menor movimentação possível de professores.

O plano leva em conta queda da taxa de natalidade e a redução expressiva da população em idade escolar, registradas nos últimos anos. Segundo dados da Fundação Seade, a população de 6 a 17 anos vem diminuindo a uma taxa média de 0,8% ao ano desde 2000. Esse processo se acelerou desde 2008, com quedas anuais de 1,3%. Como resultado, a rede estadual paulista conta com 1,8 milhão de alunos a menos.

As readequações pretendem que a rede se adapte às exigências da nova geração e privilegie a aprendizagem, em importantes passos no sentido da construção de um modelo de escola que faça do aluno seu protagonista, reduzindo conflitos entre estudantes de idades diferentes, otimizando espaços ociosos e tornando os investimentos mais eficientes em meio a uma crise econômica nacional.


QUANDO?
As adequações já estão sendo feitas para que os alunos reiniciem os estudos, a partir do começo do ano, em escolas reestruturadas. 

Toda a comunidade escolar estará envolvida nessa melhoria, opinando e participando de cada fase deste processo. Todos os 645 municípios do estado participarão da reorganização e os alunos terão espaços mais adequados de convivência e mais propício para a aprendizagem.

“A participação de todos, pais, alunos, professores, funcionários, direção, é essencial. A construção coletiva de um novo modelo será fundamental para o sucesso das ações e a realização do objetivo de melhor o ensino em São Paulo”, avalia o deputado Roberto Engler.


COMO?
Um estudo desenvolvido pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo identificou, com base em critérios pedagógicos e estruturais, as unidades que já farão parte da fase inicial da reorganização. Elas comportarão mudanças que permitam escolas com menos segmentos de ensino, agrupadas com alunos de faixa etária semelhantes.

Agora, as 91 Diretorias de Ensino estão verificando regionalmente novas unidades que também poderão passar pela reestruturação. Com a nova organização, as unidades focarão as políticas pedagógicas por faixas de ensino definidas, aprimorando a qualidade do aprendizado e a gestão escolar.

Com informações da Secretaria Estadual de Educação