12/05/2015

Governo do Estado planeja formar 14 mil PMs até 2017

Reforço de efetivo policial foi tema de audiência

imagem_destaque

Roberto Engler e Alexandre de Moraes

O Governo do Estado planeja formar 14 mil novos policiais militares até o fim de 2017. A informação foi revelada pelo secretário Alexandre de Moraes ao deputado estadual Roberto Engler (PSDB), em audiência realizada na manhã de hoje (12), na sede da Secretaria Estadual de Segurança Pública, na capital. 

A Polícia Militar, a pasta da Segurança e o Palácio dos Bandeirantes têm o mapa de carências de efetivo em todo o estado e a intenção é aumentar a proporção média de policiais por habitante, que hoje é de 262/100 mil paulistas. A distribuição dos novos soldados vai seguir critérios técnicos, como população, índices de criminalidade e abrangência geográfica.

O assunto foi discutido com o secretário depois de outro encontro, realizado ontem (11), no 15º Batalhão da PM, em Franca, quando o deputado Roberto Engler esteve com o comandante regional da PM, Coronel Paulo Eduardo Sigolo Juliani, com a subcomandante Major Silvana Helena Sozza e outros oficiais. 

O 15º Batalhão tem ajudado inclusive na formação de novos soldados. Uma turma de 60 deles acaba de concluir o treinamento em Franca e outros devem iniciar em breve. Dos cerca de 1,6 mil policiais recém-formados, 30 devem servir na cidade e nos municípios da região.

“Sabemos que o déficit de efetivo existe no 15º Batalhão e em vários outros destacamentos espalhados pelo estado. Por isso, a curiosidade de tomar conhecimento dos planos para a solução desse problema. Fico feliz em saber que, nos próximos dois anos, uma grande quantidade de policiais deve chegar às ruas”, afirmou o deputado estadual Roberto Engler.

Como a carência de efetivo não é um problema apenas da PM, o parlamentar também pediu informações sobre reforço nos quadros da Polícia Civil. Segundo o secretário Alexandre de Moraes, ao menos dois mil novos policiais civis devem ser contratados em breve. “Sabemos que o quadro da Delegacia Seccional de Franca também precisa de reforço”, disse Roberto Engler.