03/11/2014

Roberto Engler apresenta emenda para o Bom Prato de Barretos

Proposta pretende destinar R$ 1 milhão para expansão do programa

O deputado estadual Roberto Engler (PSDB) propôs a inclusão de previsão orçamentária para expansão do Programa Bom Prato, em especial a instalação de uma unidade do restaurante popular em Barretos. 

Duas emendas apresentadas ao projeto de lei 1291/2014, que trata Orçamento Estadual para 2015, serão avaliadas pela Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento e pelo plenário da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo nas próximas semanas. Uma delas prevê destinação de R$ 1 milhão para o Bom Prato de Barretos e outra, de R$ 8 milhões, para unidades em todo o estado.

Roberto Engler ressalta que a aceitação das emendas é algo imprevisível e que, independentemente da alteração ser incluída na peça orçamentária, os esforços, junto à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, pelo Bom Prato de Barretos seguem em curso. “A proposta de reforço do Programa Bom Prato é uma demonstração de que esse é um assunto que priorizamos”, afirma o deputado estadual.

A instalação do restaurante popular em Barretos foi anunciada pelo governador Geraldo Alckmin durante visita à cidade, em 2013. “É um compromisso e vamos seguir cobrando para que se torne realidade o quanto antes”, revela Roberto Engler.


O BOM PRATO
O Bom Prato oferece refeições balanceadas pelo custo de R$ 1 (o Estado subsidia R$ 3,00 do custo total da refeição - R$ 4,00) e café da manhã por R$ 0,50. Crianças com menos de seis anos não pagam.

O almoço é servido a partir das 11 horas até o término da cota de cada unidade, que varia de 1.200 a 2.000 refeições por dia, conforme a demanda averiguada pela equipe técnica na região. O cardápio é geralmente composto por arroz, feijão, carne, salada, farinha de mandioca, acompanhamento, suco, sobremesa e pão, oferecendo 1.600 calorias por prato. 

Já o café da manhã tem cerca de 400 calorias, compostas de leite e achocolatado, café, pão com manteiga, requeijão ou frios e uma fruta da estação. Em geral, são servidos 300 cafés diariamente em cada unidade, a partir das 7h.

Menores de seis anos não pagam. Cada unidade do restaurante popular gera entre 15 e 20 empregos diretos.