03/11/2014

Emenda destina recursos para construção da Fatec de Bebedouro

Proposta pretende garantir R$ 3 milhões para prédio da faculdade

O deputado estadual Roberto Engler (PSDB) propôs a inclusão de previsão orçamentária para a construção do prédio da Fatec (Faculdade de Tecnologia) de Bebedouro. Emenda apresentada ao projeto de lei 1291/2014, que trata Orçamento Estadual para 2015, destina R$ 3 milhões para a Fatec de Bebedouro e será avaliada pela Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento e pelo plenário da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo nas próximas semanas.

Roberto Engler ressalta que a aceitação da emenda é algo imprevisível e que, independentemente da alteração ser incluída na peça orçamentária, os esforços, junto ao Centro Paula Souza, para a construção do prédio da Fatec em 2015 seguem sendo feitos. “A proposta de reforço do Desenvolvimento Profissional e Tecnológica é uma demonstração de que esse é um assunto que priorizamos”, afirma o deputado estadual.


BOLSA
Outra emenda apresentada pelo deputado estadual Roberto Engler propôs a inclusão de previsão orçamentária para a criação de Bolsa Permanência para alunos carentes das Fatecs (Faculdades de Tecnologia) do estado de São Paulo. Seria R$ 1,6 milhão para auxílio a 670 estudantes.

O valor mensal de bolsa previsto para alunos com vulnerabilidade socioeconômica é de R$ 400, com limite máximo de repasse por seis meses. Inicialmente, seria possível conceder a Bolsa Permanência a aproximadamente 1% dos alunos das Fatecs.

A bolsa permanência já foi assunto também da indicação 1296/2014, feita por Roberto Engler, ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), pedindo que ele acate a ideia. A ação ocorreu no primeiro semestre deste ano, depois de solicitações feitas por estudantes de várias unidades, especialmente das Fatecs de Franca e Mococa.

O auxílio para permanência dos alunos já foi tema de negociações entre estudantes, membros da superintendência do Centro Paula Souza, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, e da Secretaria de Gestão Pública, também ao longo deste ano.

Historicamente, pelo menos dois terços dos alunos das Fatecs são oriundos de escolas públicas, fator apontado pelos representantes discentes como uma das explicações da dificuldade de permanência nos cursos tecnológicos.