09/05/2014

Etec de Bebedouro homenageia o deputado Roberto Engler

Auditório do novo prédio da unidade foi batizado com o nome do deputado

imagem_destaque

Beto Mazzeu, Andrea Carnassa, Roberto Engler e Rodrigo Campos

A Etec Professor Ídio Zucchi, de Bebedouro, homenageou o deputado estadual Roberto Engler (PSDB), ontem (8), dando o nome do deputado a seu novo auditório. A placa que batizou o espaço foi descerrada durante visita de Engler ao novo prédio, entregue pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) há 10 dias.

Na companhia do vereador Beto Mazzeu (DEM), da diretora Andrea Bessa Carnassa e do professor Rodrigo Campos, Engler esteve pela primeira vez no novo prédio da Etec de Bebedouro, no Jardim Eldorado, no início da tarde de ontem (8). Ele viu de perto salas de aula, laboratórios, salas administrativas, biblioteca e foi surpreendido na entrada do auditório, quando foi informado da homenagem.

“Fiquei emocionado. Depois de tanto esforço que envolveu a conquista do novo prédio da Etec, depois de ver de perto como ficou maravilhosa essa estrutura, ainda recebo essa distinção da direção da Etec, dos professores, dos alunos. Agradeço muito todo esse carinho”, afirmou o deputado Roberto Engler.

Engler caminhou pelos dois blocos da nova Etec de Bebedouro, o administrativo e o pedagógico, visitando cada uma das salas de aula, laboratórios, salas de audiovisual, entre outros ambientes. “É, sem dúvida alguma, uma das melhores estruturas de todo o estado”, disse o parlamentar.

As obras receberam investimento de mais de R$ 12,6 milhões em recursos do Governo do Estado de São Paulo. A Etec possui 657 alunos. São 244 no Ensino Médio e 413 em sete cursos técnicos: Administração, Administração Integrado ao Ensino Médio, Administração semipresencial, Agronegócio, Informática, Informática para Internet Integrado ao Ensino Médio e Serviços Jurídicos.

“Agora, a demanda é para que o número de curso e de vagas aumente”, revelou o deputado Roberto Engler, que planeja retomar conversas para nova estrutura física seja construída na Etec: um prédio que abrigue as oficinas mecânicas. “É uma nova meta”, garantiu.


ABÍLIO MANOEL
No início da noite de ontem (8), o deputado Roberto Engler ainda visitou outra escola de Bebedouro. O parlamentar foi recebido na Escola Estadual Abílio Manoel pela vice-diretora, Rosimeire Aparecida Gallo, pela coordenadora pedagógica, Márcia Veronezi, e pelos professores Rogério Carlos Fábio e Marisa Cristina Cotrim, e viu de perto resultado de outra obra pela qual trabalhou: a restauração da escola.

Engler conheceu a sala de memória da Abílio Manoel, espaço onde os mais de 100 anos da escola estão registrados, por meio de documentos, objetos e fotos, um trabalho idealizado pelo professor Rogério Fábio, que fez questão de apresentar a exposição ao deputado.

Depois, o parlamentar circulou pela escola e conferiu as melhorias feitas a partir da restauração. “O resultado final ficou muito bom. Fiquei feliz em conferir não só esse resultado físico da obra, mas de ver como a restauração foi também um ganho adicional de autoestima para a escola, conforme a gente observa na conversa com as diretoras e com os professores”, afirmou Engler.

A restauração da Abílio Manoel começou em setembro de 2011, terminou no ano passado e foi entregue oficialmente pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), há 10 dias. A obra sofreu uma série de imprevistos antes de ser iniciada. O deputado Roberto Engler trabalhou pela liberação da obra desde 2008. 

No início de 2009, a licitação para a obra chegou a ser confirmada.  “Naquela oportunidade comemoramos a notícia, pois tudo dava a entender que ainda naquele ano a recuperação do prédio seria iniciada. No entanto, alguns imprevistos atrapalharam essa previsão”, relembrou Engler.

O Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) identificou uma falha na localização da quadra da escola. Construída há muitos anos, o espaço esportivo e sua cobertura, também conseguida com o apoio de Engler, prejudicava a manutenção do patrimônio histórico (o imóvel da Abílio Manoel é tombado) de acordo com o conselho. “Identificada essa falha, retomamos o trabalho para corrigi-la e liberar a obra”, revelou o parlamentar.

Junto à FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), órgão ligado à Secretaria Estadual de Educação, Engler conseguiu a adaptação da quadra, que teve suas dimensões reduzidas para que as normas do Condephaat fossem respeitadas. “Essa solução da redução do tamanho da quadra foi a única saída viável para resolvermos o impasse”, afirmou o deputado.

Os procedimentos para solucionar o problema levaram bastante tempo. No entanto, depois disso, ainda faltava o reconhecimento do conselho de que as medidas tomadas foram suficientes para sanar a situação. “Comunicamos a alteração ao Condephaat e monitoramos a apreciação do caso até que houvesse o aval definitivo e o desembargo da obra. Isso ocorreu no fim de agosto de 2011, quando foi possível iniciar obra”, rememorou Engler.