17/02/2014

Conclusão de ETE de Barrinha precisa de mais R$ 1 milhão

Repasses dependem de regularização de posse de terreno

imagem_destaque

Katiá, Alceu Segamarchi e Roberto Engler

A Estação de Tratamento de Esgoto de Barrinha necessita de por volta de R$ 1 milhão para ser concluída. O assunto foi tratado durante audiência no DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), na última quarta-feira (12). O deputado estadual Roberto Engler (PSDB), o prefeito Mituo Takahasi, o Katiá (PT), e o presidente da Câmara Municipal, Luciano Aparecido Takeda Gomes (PT do B), se reuniram com o superintendente do departamento, Alceu Segamarchi Júnior, e com o diretor Lupércio Ziroldo Antônio.

Repasse de R$ 537 mil em investimento está garantido e depende da regularização de pendências relacionadas à posse do terreno onde está sendo erguida a estação. Por volta de R$ 400 mil ainda devem ser liberados pelo Governo do Estado, possibilitando o fim da obra. 

“Temos a garantia de que o valor que falta será custeado pelo Estado, mas dependemos de ações do município para que os novos repasses possam ocorrer”, revelou o deputado Roberto Engler.

O convênio original para construção da ETE de Barrinha teve valor de R$ 6,3 milhões. A estação está sendo construída em área de 16 hectares, na Vila Recreio, nos fundos do Ginásio Prefeito Jamil Calil, e fará chegar a 100% a taxa de coleta de esgoto doméstico no município e a 60% a de tratamento de resíduos urbanos.  Atualmente, o esgoto é despejado no Córrego Jatobá, que atravessa a cidade.