03/12/2013

Santa Casa de Patrocínio Paulista terá ala para dependentes químicos

Estado vai liberar R$ 943 mil para viabilizar unidade de atendimento regional

imagem_destaque

Edson Aparecido e Roberto Engler

O Governo do Estado de São Paulo vai investir quase R$ 1 milhão para a instalação de uma ala para tratamento de crianças e adolescentes dependentes químicos na Santa Casa de Patrocínio Paulista. O hospital deve abrir 20 vagas a partir de reformas e ampliação de sua estrutura com a finalidade de atender as 22 cidades da região de Franca.

A informação foi confirmada pelo deputado estadual Roberto Engler (PSDB), que, depois de contatos com a diretora regional de Saúde, Adriana Ruzene, e com o provedor da Santa Casa, Emílio Bertoni, atuou, junto à Secretaria Estadual da Saúde e ao secretário estadual da Casa Civil, Edson Aparecido, para viabilizar o repasse.

O projeto da Santa Casa de Patrocínio Paulista é para receber 20 dependentes químicos com idade inferior a 18 anos. Seriam 12 vagas masculinas e oito femininas. “No entanto, para que a ideia se converta em realidade, algumas obras têm de ser realizadas, assim como alguns equipamentos serão adquiridos. O Governo do Estado vai financiar tudo isso com repasse de R$ 943 mil”, afirma o deputado Roberto Engler.

A Secretaria da Casa Civil já autorizou a elaboração de convênio da Secretaria Estadual de Saúde com a Santa Casa de Patrocínio Paulista. O plano de investimentos está sendo elaborado, detalhando o destino da verba. Cerca de R$ 724 mil serão usados para as obras e outros aproximadamente 219 mil, para mobiliário e equipamentos.

Uma vez celebrada a parceria, a estimativa de prazo para conclusão de todas as medidas é de entre seis e oito meses. “Sendo assim, o início do funcionamento da uma ala para tratamento de crianças e adolescentes na Santa Casa de Patrocínio Paulista deve ocorrer no segundo semestre de 2014”, prevê o deputado Roberto Engler.


SISTEMA REGIONAL
O tratamento de dependentes químicos previsto para a Santa Casa de Patrocínio Paulista é parte da elaboração de um sistema regional para tratamento que está em processo de viabilização e envolve também as santas casas de Franca e Igarapava. A ideia é abrir mais 20 vagas, mas para tratamento de dependentes químicos em idade adulta.

Dez vagas estão sendo pleiteadas pela Santa Casa de Franca, que já teria estrutura física, anexa ao Hospital do Câncer, para oferecer o tratamento. No entanto resta o projeto de adaptação dessa estrutura. A Santa Casa de Igarapava também se manifestou, buscando credenciar 10 leitos naquela cidade.

A aprovação das vagas envolve comprovações técnicas, avaliações segundo normas do Ministério da Saúde e deliberações de conselhos gestores. O planejamento completo da disposição dos leitos passa também pelo Departamento Regional de Saúde.

O custeio do tratamento que seria oferecido nas unidades da região contaria com apoio da União, por meio de repasse de R$ 4 mil por leito, por mês. Para ter direito a essa verba, o hospital que abriga as vagas precisa ser classificado como Hospital Geral, categoria em que se enquadram as três santas casas.