02/12/2013

Secretaria da Educação investe mais de R$ 24 milhões em Franca

Reformas e novas escolas são principais destinos dos recursos

imagem_destaque

Herman Voorwald e Roberto Engler

A Secretaria Estadual de Educação, por meio da FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), está investindo mais de R$ 24 milhões em unidades escolares de Franca ao longo deste ano. São 45 obras diferentes na cidade em 2013.

Trinta e duas obras já foram concluídas, com investimento de R$ 10,6 milhões. Entre elas, se destacam grandes reformas nas escolas estaduais Maria Pia Silva Castro, Michel Haber, Torquato Caleiro, José Pinheiro de Lacerda, João Marciano de Almeida, Barão da Franca, David Carneiro Ewbank, Ângelo Gosuen, Suely Machado da Silva, Pedro Nunes Rocha, Ana Maria Junqueira e Laura de Mello Franco, além da construção de escola nova no Residencial Ana Dorothéa.

Estão em andamento, outras intervenções bastante significativas, com reformas nas Escolas Estaduais Adelina Pasquino Cassis, Benedito Eufrásio Marcos Vieira, José Ricardo Pucci, Josephina Zinni Almada e Lina Picchioni Rocha. 

As construções de três novas escolas nos bairros Jardim Luiz II, Jardim Pulicano e Residencial São Domingos, com verba estadual e gestão da Prefeitura Municipal de Franca, estão em fase final. As obras em andamento somam R$ 11,5 milhões em investimentos.

Por fim, mais cinco amplas reformas estão em processo de licitação. São intervenções nas escolas estaduais Adalgisa de são José Gualtieri, Antonio Fachada, Carmem Nogueira Nicácio, José Carlos Donadeli Panice e nova obra na Maria Pia Silva Castro, com custo total estimado em R$ 2,4 milhões.

O deputado estadual Roberto Engler (PSDB) falou sobre a diferente função das intervenções. “Preocupação com segurança para as atividades e convívio dos alunos, adaptações para a implantação do Acessa Escola, com disponibilização do acesso à internet para a comunidade escolar, adequações para as escolas em tempo integral, abertura de novas vagas. São muitas finalidades, todas elas com vistas à oferecer a devida estrutura para as aulas”, afirmou Engler.